COMO PENSAM AS INSTITUIÇÕES

DOUGLAS, Mary




Código: SO 039

Coleção: SOCIEDADE E ORGANIZAÇÕES

Edição: 2004

Editor Original:SYRACUSE UNIV. PRESS

ISBN: 978-972-771-705-7



11,33 €

  • Será que as instituições pensam? Se sim, como o fazem? Têm mentes próprias? Se sim, que pensamentos ocupam estas mentes suprapessoais? Mary Douglas aprofunda estas questões à medida que assenta a infra-estrutura para uma teoria das instituições. Normalmente, o processo de raciocínio humano é explicado com a mente individual; centra-se na cultura. Usando os trabalhos de Emile Durkheim e Ludwik Fleck como base, Como Pensam as Instituições tenciona clarificar até que ponto o próprio pensamento depende das instituições. Diferentes tipos de instituições permitem que os indivíduos tenham diferentes tipos de pensamentos e respondam a emoções diferentes. É tão correcto como difícil explicar como os indivíduos chegam a partilhar as categorias dos pensamentos e como conseguem pôr de parte os seus interesses pessoais em nome de um bem comum. Douglas adverte-nos para o facto das instituições não pensarem independentemente, nem terem propósitos, nem se conseguirem construir a si mesmas. À medida que construímos as nossas instituições, estamos a moldar as ideias de cada um de nós com uma forma comum para provar a legitimidade através de números simples. Ela aconselha-nos a não nos sentirmos descansados com o pensamento de que os primitivos podem pensar através de instituições, mas os modernos decidem as questões importantes individualmente. As nossas instituições legítimas tomam decisões muito importantes e estas decisões envolvem sempre princípios éticos.
    Close